O Pierrot do Século XXI

•08/02/2010 • 3 Comentários

Chocante!

Quando eu era pequeno e passava os carnavais em Nova Friburgo, região serrana do Rio, sempre morria de medo ao ver nas ruas pessoas fantasiadas de Pierrot e Bate-Bola. Eu até tive uma fantasia de Bate-Bola, acho até que a usei algumas poucas vezes, mas morria de medo. Lembro que é um personagem um tanto arruaceiro.

Esses dias eu vi algo realmente chocante. Crianças brincando o pré-carnaval nas ruas, todos fantasiados. O Pierrot e o Bate-Bola deram lugar a mini-traficantes. Isso mesmo. Crianças vestidas de bandidos. Bermudas, alguns sem camisa, de óculos escuros, e uma blusa enrolada na cabeça fazendo uma espécie de máscara. E nas mãos um cabo de vassoura imitando metralhadoras, rifles e afins.
Mas o que mais me choca nessa situação, é que os pais dessas crianças permitiram que eles saissem assim na rua para brincar… Muito triste!

Vemos o carnaval de rua cada vez mais banalizado, mais bagunçado, e agora isso… personagens tradicionais desse período dando lugar a personagens “reais” que assombram muitas pessoas…

Anúncios

Um dia triste…

•25/01/2010 • 4 Comentários

Esses dias fui a uma Missa de sétimo dia aqui na paróquia. Logo quando cheguei, recebi um folheto com as leituras e as músicas que seriam cantadas na celebração. Não dei muita atenção pro papel na hora, só depois que resolvi dar uma olhada. E foi quando levei o primeiro choque. Colocaram a tal da música do Zaqueu na hora da Comunhão! Que triste!
A equipe que estava responsável pela liturgia da Missa era da paróquia, assim como os músicos, o padre não. Era de fora. Um dos músicos havia, há dois anos, discutido (educadamente) comigo via e-mail sobre a músicas litúrgicas. Usei de todos os argumentos possíveis, mostrei todos os documentos magisteriais da Igreja, e a discussão se encerrou.

Fiquei triste em ver que ele continua colocando a vontade pessoal acima do que é correto. Continua sem entender o real significado da Santa Missa.
E tocaram várias músicas, apenas duas litúrgicas, e a assembleia não participava muito. Não deu outra, na hora do Zaqueu, logo após a comunhão, quase todos os presentes cantavam a música, o cantor super envolvido com a canção… e eu? Eu só não chorei por pouco, e não foi de comoção. Foi de dor! Pela primeira vez na vida, eu senti dor física ao presenciar abusos litúrgicos… eles geralmente me tiram do sério, me deixam inquieto. Mas dessa vez, eles doeram… como se eu visse as pessoas enfiando cravos por todo o corpo de Nosso Senhor… foi bem triste. Um dos momentos mais tristes que eu vivi dentro da Igreja…

Zelo litúrgico, pelo visto, nenhum…

Oremos.

O fim da vida…

•21/01/2010 • Deixe um comentário

É feio pedir a Deus que alguém morra?

Explico. Minha avó tem 97 anos,  já há alguns na cama, inconsciente. Ela tem pneumonia atrás de pneumonia. Infecção atrás de infecção. E resistindo. Já caiu da cama enquanto uma das moças que cuida dela dava banho. Abriu feridas imensas nas pernas, braços e nariz.
Hoje a sonda gástrica dela saiu sozinha, o local infeccionou e sangra, foi preciso trocar a sonda, refazer o procedimento. Com isso ela ficou sem comer.

O médico dela já disse que a medicina não tem mais como ajuda-la, e ele ri dos resultados dos exames. Ri no sentido de não acreditar no que vê, pois as coisas não fazem sentido.

Por um lado ficamos aqui sem saber se ela está fisicamente sofrendo, já que não fala mais… mas na época do acidente em que caiu da cama, gemia muito na hora de fazer o curativo.
É errado nesse caso pedir a Deus que termine com o sofrimento dela? Nem me preocupo com o que nós sentiremos quando ela se for, a dor provavelmente existirá, mas talvez virá também uma sensação de alívio, se é que assim podemos chamar. Recentemente minha avó recebeu três unções dos enfermos.

Queria que Deus acabasse com o sofrimento dela. O sofrimento pode ser a causa de santificação dela, e também da nossa. Mas, vê-la deitada na cama é sempre triste.

Que Nosso Senhor possa cuidar da minha avó, e que nós aqui, por mais que não entendamos Sua vontade, acatemo-la e saibamos tirar dela a lição que Ele deseja.

O primeiro acidente de carro a gente nunca esquece…

•12/01/2010 • 1 Comentário

Vamos começar do início.
O dia era corrido. Ia buscar duas meninas no aeroporto Santos Dummont, no Rio. Antes disso, fui em São Gonçalo buscar Izabella e fomos em Laranjeiras, no Rio, para a produtora onde eventualmente presto serviços. Aí sim, nos encaminhamos ao aeroporto.

As meninas, duas equipistas do estado de São Paulo já haviam chegado (o vôo adiantou quase 20 minutos). Viemos para Niterói passando por alguns pontos turísticos, tudo sem trânsito ruim. Fomos até a casa onde elas ficarão hospedadas e depois nos dirigimos até a pizzaria em São Francisco. Até aí tudo normal…

Eu e Izabella tivemos que sair um pouco mais cedo da pizzaria, por volta das 23:20. Fui leva-la em casa. Na av. Roberto Silveira, já quase no final, eu pela pista da direita vejo bem a frente, na pista do meio, um taxi do Rio andando devagar. Continuei com a velocidade que estava, por volta de 50km/h e ultrapassei o taxi. Bom, quase.
Assim que a minha porta passou pelo bico do carro do taxista (um Siena), ele sem mais nem menos, joga o carro pra cima do meu (que na verdade não é meu). Fez um barulho estrondoso dentro e nos assustamos bastante. Parei alguns metros a frente e o motorista parou logo atrás.
Saí do carro super tenso achando que tinha voado pedaço pra todos os lados… que nada. Tinha um arranhão bem feio na porta de trás, do lado esquerdo, e um amassado. No Siena foi apenas um arranhão do lado direito bem próximo ao farol. O taxista já saiu do carro pedindo desculpas e assumindo a culpa, dizendo que tinha seguro e que ele bancaria as despesas.

Então, ligou primeiro pra polícia e depois pro seguro. Ele telefonou para a PM às 23:35. A viatura só apareceu no local do acidente à 1:30 da manhã. Esperamos duas horas. Liguei outras duas vezes pro 190. Quando os policiais chegaram, pediram desculpas pela demora e explicaram… o bicho tava pegando numa favela, e o tiroteio tava comendo solto. A ponto de encaminharem TODAS as viaturas para o local. Passaram algumas por nós, inclusive, em diração a tal favela.

Graças a Deus ninguém se machucou, nem de leve. E que bom que só estávamos os dois no carro. Foi só o susto mesmo. E a sensação de frustração. Muita frustração…

Agora é esperar pra ver quanto tempo demora pra consertar o carro. Dor de cabeça… =/

Propostas para 2010

•04/01/2010 • 2 Comentários

Tenho propostas bem simples para 2010. O ano que passou foi bom, mas um ano em que relaxei num ponto muito importante para mim, o espiritual. Deixei de ir à Missa diariamente, reduzi o número de orações durante o dia. Resolvi então o seguinte:
– fazer todas as orações que me cabem da Liturgia das Horas por dia. (Laudes, Doze Horas, Vésperas e Completas)
– rezar ao menos 365 terços no ano
– participar de pelo menos 183 Missas no ano.

Uma coisa que fiz em 2009 que valeu muito a pena foi ler pelo menos um livro por mês. Algo até então inédito. Consegui ler um total de 13 livros. A idéia é em 2010 ler 18 livros. Um e meio por mês!
Então vou nessa porque a lista de obras literárias que me espera é grande!

FELIZ ANO NOVO!

Nativitas Domini Nostri Jesu Christi

•25/12/2009 • Deixe um comentário

Do sol nascente ao poente
Cantai, fiéis, neste dia,
ao Cristo Rei que, por nós,
nasceu da Virgem Maria.

Autor feliz deste mundo,
tomou um corpo mortal.
A nossa carne assumindo,
livrou a carne do mal.

No seio puro da Virgem
entrou a graça dos céus.
Em si carrega um segredo
sabido apenas por Deus.

O casto seio da Virgem
se faz o templo de Deus.
Gerou sem homem um Filho,
o Autor da terra e dos céus.

Nasceu da Virgem o Filho
que Gabriel anunciou,
em quem no seio materno
João, o Batista, exultou.

Não recusou o presépio,
foi sobre feno deitado;
quem mesmo as aves sustenta
com leite foi sustentado.

Do céu os coros se alegram,
os anjos louvam a Deus.
Pastor se mostra aos pastores
quem fez a terra e os céus.

Louvor a vós, ó Jesus,
que duma Virgem nascestes.
Louvor ao Pai e ao  Espírito
no azul dos paços celestes.

A Senhora da Doce Espera

•18/12/2009 • Deixe um comentário

Nossa Senhora do Ó - Totus tuus

“Doce Virgem Maria, cujo coração foi por Deus preparado para morada do Verbo feito carne, – pelas inefáveis alegrias da expectação de vosso santíssimo parto, ensinai-nos as disposições perfeitas e de uma íntegra pureza no corpo e na alma, de uma humildade profunda no espírito e no coração, de um ardente e sincero desejo de união com Deus, – para que o meigo Fruto de vossas benditas entranhas, venha a nascer misericordiosamente em nossos corações, a eles trazendo a abundância dos dons divinos, para redenção dos nossos pecados, santificação de nossa vida e obtenção de nossa coroa no Paraíso, em vossa companhia. Assim seja.”
(Com 200 dias de indulgência)
São Paulo 3-XII-1945

Antífonas do Ó: 

Dia 17: Ó Sabedoria, que saiste da boca do Altíssimo Atingindo de uma à outra extremidade,
E dispondo, todas as coisas forte e suavemente,
vinde para nos ensinar o caminho da prudência.

Dia 18: Ó, Adonai, senhor e condutor da casa de Israel
que apareceste a Moisés nas chamas da sarça ardente,
E lhe deste, sobre o Monte Sinai, a Lei Eterna;
vinde para nos resgatar pela potência de vosso braço.

Dia 19: Ó Raiz de Jessé que sois como o estandarte dos povos,
Diante do qual os reis fecharão a boca,
Não tardeis mais um momento.

Dia 20: Ó Chave de Davi, centro da casa de Israel,
Que abris e ninguém pode fechar,
Fechais e ninguém pode abrir,
Vinde e tira da prisão o cativo
Que está sentado nas trevas e nas sombras da morte.

Dia 21: Ó Sol Nascente, esplendor da luz eterna e sol da justiça:
vinde e iluminai aqueles que se sentam nas trevas da morte.

Dia 22: Ó Rei das gentes, e objeto de seus desejos,
Pedra angular, que reunis em vós os dois povos
Vinde e salvai o homem que formaste do limo da terra

Dia 23: Ó Emanuel, Rei e Legislador nosso esperado
Das nações e seu Salvador vinde,
Salvai-nos senhor nosso Deus,
Que os céus chovam das alturas
E as nuvens nos tragam o Salvador.

Nossa Senhora do Ó (da Expectação, da Doce Espera), rogai por nós!